Páginas

23/11/2018


Quando você sentir que o mundo desistiu de você, pare e observe....talvez você mesmo tenha desistido muito antes!
Recupere seu mundo!

Rose Kareemi Ponce

A cor dar...

Manhãs são telas em branco que ganhamos do universo para desenharmos um lindo quadro.
Escolha as cores mais alegres, os traços mais bonitos.. faça flores pelo caminho para perfumar o dia, espalhe gramas sob os pés para nao perder a conexão com o sagrado...
Ah! Caminhe descalço!
Espalhe sorrisos por todos os cantos.
Desenhe cifras para os passarinhos cantarem uma linda canção de paz!
Desenhe asas....uma hora sairá do chão e viverá sonhos!
Faça árvores frondosas para ter sombras. Abrace as árvores e lembre-se sempre da força que elas emanam e compartilham.
Desenhe um arco íris, mas não se esqueça do pote de ouro no fim dele...haverá um duende pra entregar a mais pura felicidade em moedas que nada compram, apenas lembram valores diários que precisam ser resguardados.
Faça pegadas coloridas por todos os lados para que sirva de exemplo para quem ainda caminhe na tristeza dos dias cinzas.
Escreva palavras no ar mas lembre-se sempre: "você é a construção de suas palavras", saiba quais deixar registradas!
Dance com as nuvens e ao final espalhe um por do sol avermelhado e termine com gotas azuis qual pirilampos. As estrelas são importantes, elas guiam a noite para um novo amanhecer e uma nova tela em branco para recomeçar!
Sempre!


Rose Kareemi Ponce




Que nossos olhos possam enxergar todas as dimensões de bençãos que nos chegam de presente todos os dias!
Já agradeceu a luz, hoje?

Rose Kareemi Ponce

20/11/2018

Se sentir cansado, esgotado é absolutamente natural e faz-se necessário ouvir a voz da alma quando ela te pede para parar, respirar para tomar fôlego para depois continuar a jornada.
O cansaço é termômetro para percebermos que nossas reservas energéticas estão chegando na linha vermelha. Aquela que nos avisa que o fim do reservatório está próximo e que o limite foi extrapolado. Nossa saúde emocional e física está em risco.
Precisamos ouvir esses avisos, que muitas vezes nos chegam por intuição para que não tenhamos de parar quando nosso trem está lotado e o freio é acionado por emergência. Toda carga que estava bem acomodada em todos os vagões, em equilíbrio, sai voando e cai sobre os ombros, fazendo estragos. Precisamos ouvir e aprender no amor.
Precisamos parar e nos colocarmos no colo. Nosso colo.
Porque nesse momento de cansaço pode esperar que a indignação vai bater forte também, porque as expectativas quanto a amizades, cuidado, família, atenção, etc., vão correr água abaixo. Uma das lições deste momento.
As pessoas não estão a sua disposição. Não mesmo. Elas estão vivendo seus próprios cansaços e indignações.
Elas também estão em busca de colo e choram suas dores. Sozinhas.
O universo umbigo com ligações em úteros cofres (que guardam dinheiro ao invés de valores), as fazem perder o contato humano...
Hoje procuram-se pessoas para desabafar suas dores, mas não procuram-se pessoas para ouvir suas mágoas e secar suas lágrimas.
As pessoas não querem ouvir. Apenas falar.
Ouvir e ter empatia nos torna co-responsáveis pela alma alheia. Ninguém quer isso mais.
Estamos tendo de caminhar sobre nossas pernas num deserto de almas vazias. Não há colaboração e cooperação. Há interesses.
Eu te escuto, mas há um preço incluso. O valor da amizade perdeu-se em meio o vil metal e as desculpas de falta de tempo.
Tempo...tempo... tempo....
Senhor maior de todas as coisas. À ele, o tempo, precisamos entregar nossas perguntas, lágrimas, dores e amores, para que ele, no seu tempo, nos entregue de volta os aprendizados e sabedorias...o Tempo!!!
Nossos elos estão enfraquecendo. E falamos da vida alheia com diploma e doutorado. Somos os juízes e doutores. Mas ao encararmos nossa própria história, temos o olhar e o comportamento de pré escola.
Para sairmos desse ciclo vicioso que se tornou a vida, precisamos tirar algumas pessoas do caminho como quem tira pedras, obstáculos. Porque sim, temos o direito. Não por maldade, mas para nos ligarmos a outras estrelas, histórias, vidas, corações e principalmente, nos ligarmos a quem tem por fundamento, valores, não preços.
E compreendendo a máxima: "quem crítica todos pra você, vai criticar você, para todos"!
Ter cansaço e indignação é natural, mas não é estacionamento de alma, é o ponto de partida para que o novo se apresente, trazendo novo fôlego e horizontes, permitindo que o sonho se refaça e o tecer de uma nova jornada se apresente. Aí é só pegar linha e agulha para bordar o novo quadro da vida, onde almas plenas de amor, compaixão e acolhimento estão caminhando de mãos dadas!

Rose Kareemi Ponce

Link do livro: Tekoha Porã
Com meus escritos


Quando escondemos a dor, falamos apenas em cansaço e tudo o que queremos é voltar para algum lugar que nem sabemos onde é realmente...e se existe.

Rose Kareemi Ponce