Páginas

16/09/2015






Sou aquela que carrega em suas entranhas
a força da vida já vivida
da estrada já percorrida
mas ainda assim se renova
se transforma,


Sou aquela que encerra mistérios
que guarda saberes
que se sustenta em raízes
que tem asas abertas
prontas para novos caminho
novos rumos
novos perfumes

Sou aquela que sábia, nada sabe
que aprendiz, tudo compreende
como livro vazio
está aberto para novas histórias

Sou aquela que semeou estradas
que desabrochou trigais
que saciou fomes
que matou sedes

Sou aquela que foi amparada
que amparou
que chorou
que viu chorar
que abraçou
que de mãos dadas com a lua
caminhou por noites inteiras

Sou aquela que se descobriu estrela
que se percebeu água
que sentiu a terra
que viveu nos ares
que queimou as dores
no fogo sagrado das intenções

Sou aquela que viveu
que vive
que viverá
em cada coração tocado
pela delicadeza das palvras
sopradas
ouvidas
sentidas

Um comentário:

Deixe aqui seu comentário para nosso blog, com eles poderemos melhorar e aprimorar nossos textos e abordagens!!